Nos 148 anos, Icoaraci festeja melhorias e investimentos no distrito

Nos 148 anos, Icoaraci festeja melhorias e investimentos no distrito

Vila Sorriso, local onde reside quase meio milhão de habitantes, é um dos principais pontos turísticos de Belém. Detentor da tradicional água de coco vendida na orla e da venda de cerâmica marajoara, o distrito de Icoaraci completou neste mês de outubro 148 anos de fundação.

Para comemorar, a Agência Distrital de Icoaraci (Adic) organizou uma programação no Anfiteatro da Orla nesta sexta-feira, 27, que contou com a apresentação da banda da Guarda Municipal de Belém, apresentação do grupo Trilhas da Amazônia, atrações musicais e o tradicional corte do bolo, que este ano teve mais de cinco metros.

Orgulho para quem nasceu ou simplesmente escolheu o local para residir, Icoaraci tem sido um dos distritos que vem recebendo investimentos da Prefeitura de Belém nos diversos âmbitos, desde a área estrutural até a cultural.

“São mais de 40 anos morando aqui neste local. Já passei por diversos municípios do Pará, mas foi Icoaraci que escolhi para residir e criar meus filhos, porque lugar melhor não há”, afirma o economista Aloysio Gontijo, 70 anos. Ele, que é mineiro, encontrou na Vila Sorriso tudo o que precisava para se firmar no Estado. “Chego a passar semanas sem ir ao centro de Belém, tudo que preciso Icoaraci tem, sem contar que desfrutar dessa vista maravilhosa já garante a paz que a gente precisa”.

Aloysio conta que viu o distrito crescer, afinal, nestes mais de 40 anos residindo no local, foi testemunha de obras e mudanças. “Quando chegamos aqui era tudo diferente e até menos frequentado. A própria (avenida) Augusto Montenegro quase não tinha trânsito, mas daí vieram as grandes construções, prédios, escolas, shoppings e o bairro foi ganhando uma cara nova. Hoje as pessoas reclamam por passar horas em um engarrafamento, mas se não houvesse essa intervenção da prefeitura com o BRT não haveria como chegar em Icoaraci. É uma melhoria estrutural como essa que vai dando cara nova pra cidade, sem dúvida”, avaliou.

A tradicional água de coco no Pontão encanta e divide espaço com a Feira de Artesanato que oferece as mais diversas peças de cerâmicas marajoaras e tapajônicas. Vendidos na margem da baía do Guajará, os produtos são variados, com formas, cores, tamanhos e preços que encantam os turistas que passam pelo local.

O casal paulista Silvânia Turi, 54 anos, e Luiz Araújo, 55 anos, escolheu Belém como a primeira cidade do Norte para conhecer. Há menos de uma semana na cidade, eles já circularam por diversos bairros, feiras e restaurantes da capital. Além de ficarem impressionados com a culinária local, a psicóloga afirma que Icoaraci foi um dos pontos de que mais se agradou durante o passeio: “Que clima maravilhoso, um lugar que nos faz submergir na história indígena por estar rodeada de peças incríveis. Estou apaixonada por isso aqui. Chegamos sendo recebidos pela chuva, mas ela passou tão rápido que a gente olhou e já está assim, lindo. Vou fazer uma propaganda incrível de Belém”.

A felicidade que o casal teve ao conhecer Icoaraci é motivo de orgulho para quem nasceu no distrito e hoje sobrevive do artesanato local, como a Lucilena da Serra, 53 anos, proprietária de uma das lojas na Feira de Artesanato. Para ela, viver em Icoaraci é uma dádiva. “A gente é abençoado demais, meu lugar é lindo, é tranquilo e cada dia que passa vai ganhando uma cara nova. Se eu não estiver vendendo (as cerâmicas), estou aqui sentada pegando esse ventinho da orla. Tem coisa melhor? A prefeitura tem contribuído pra isso, as pessoas têm voltado a usufruir do espaço que nós temos como lazer”.

Investimentos – Nos últimos meses deste ano, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), garantiu o asfaltamento de mais de dois quilômetros de ruas dos bairros de Icoaraci, e mais de 20 vias receberam a ação Tapa Buraco, com o objetivo de melhorar a trafegabilidade de veículos e pedestres.

Entre as melhorias estão ainda a revitalização da orla de Icoaraci, com pintura, iluminação, reparos na grama e na calçada; a recuperação do trapiche municipal, local de onde saem dezenas de embarcações com destino às ilhas de Belém; a implantação e substituição de 560 luminárias no distrito; e a construção e reforma de cinco pontes em parceria com o Governo do Estado.

Para Thiago Santos Evangelista, 30 anos, proprietário de um estabelecimento comercial próximo a uma das pontes construídas, na travessa do Cruzeiro, a construção da ponte foi uma melhoria significativa para os moradores. “A gente praticamente não tinha acesso a nenhum dos lados, era uma vala que em dias de chuva ficava bem complicado para as casas na parte baixa. Depois dessa obra tudo flui melhor, está sendo bom até mesmo para as minhas vendas”, avalia.

História – Uma das intervenções mais aguardadas por quem mora ou visita Icoaraci é a entrega do Chalé Tavares Cardoso, onde funcionava a Biblioteca Municipal. O local foi desativado em 2014 por problemas estruturais e desgastes ocasionados pelo tempo, e agora passa por uma restauração que busca manter os traços originais e históricos da arquitetura. Fachada, escadaria frontal e os guarda-corpos estão sendo reconstituídos nos mínimos detalhes, assim como as duas cúpulas que integram a fachada e deve ser entregue até o final deste ano.

“O apoio do prefeito Zenaldo Coutinho tem sido fundamental para Icoaraci, que tem tido a atenção dele não só com grandes obras como a do Chalé Tavares Cardoso e a construção dos residenciais Viver Maricá e Quinta dos Paricás, que vão abrigar milhares de famílias de baixa renda, mas também com ações pontuais por meio do ordenamento das feiras, restaurantes, ambulantes, até mesmo com o mutirão de serviços do programa ‘Prefeitura no bairro’, que ele trouxe para cá e beneficiou mais de 20 mil pessoas. Isso para nós é motivo de orgulho e satisfação por fazer parte de uma equipe comprometida, que visa o bem de uma população”, afirma o agente distrital de Icoaraci, José Costa.

Matéria publicada na Agência Belém