Prefeitura quer assegurar o abastecimento do peixe na Semana Santa

Prefeitura quer assegurar o abastecimento do peixe na Semana Santa

A Semana Santa se aproxima e mais uma vez o abastecimento e o preço do peixe comercializado nos mercados municipais de Belém foram debate, nesta quarta-feira, 17, na Secretaria Municipal de Economia (Secon), com diversos órgãos da Prefeitura de Belém e do Governo do Estado. A Prefeitura de Belém quer assegurar o abastecimento do pescado na capital paraense e anunciou a novidade de venda do peixe delivery, através dos comerciantes parceiros, que atuam na Feira do Pescado.

Segundo dados da Secon com o Departamento Intersindical de Pesquisa e Estudos Socioeconômicos (Dieese-pa), o valor de comercialização do peixe tem aumentado significantemente desde novembro do ano passado, com tendência de contínuas altas até a Semana Santa. “Por isso, é importante políticas que garantam o abastecimento interno do pescado, com o objetivo de amenizar a especulação de preços, principalmente nesse período tão importante para o consumidor belenense”, destacou o supervisor técnico do Dieese no Pará, Roberto Sena.

Para a mobilização entre os agentes públicos, privados e os trabalhadores que atuam diretamente com a venda do peixe, a Secretaria Municipal de Economia (Secon) tem articulado desde o dia 1º deste mês de fevereiro, com o Dieese e a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), estratégias para fiscalizar e controlar a saída do peixe de dentro do município de Belém para outras localidades do estado.

“Para reunir esforços nessa ação, convidamos além do Dieese e da Sedap, o reforço de outros órgãos da Prefeitura de Belém, como as Secretaria Municipais de Saúde (Sesma/Devisa), Saneamento (Sesan), Urbanismo (Seurb), Meio Ambiente (Semma), Defesa Civil, Guarda Municipal (GMB) e Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob). Cada entidade irá realizar ações de ordenamentos e fiscalizações na Pedra do Peixe do Complexo do Ver-o-Peso e nos principais logradouros de comercialização do pescado, nos quinze dias antecedentes à Semana Santa”, explicou o Titular da Secon, Apolônio Brasileiro.

Feira do Pescado – Em razão principalmente da Pandemia da Covid-19, o técnico em gestão de pesca e aquicultura da Sedap, Átila Brandão, revelou que possivelmente haverá quatro pontos de comercialização do peixe. Dentre eles estão um ponto fixo no Centur, das 8h às 14h, na quarta e quinta-feira antecedente à Sexta-feira Santa, e ainda três drive-thru no Portal da Amazônia, na feira de exposição do Entroncamento e outro no estacionamento do Mangueirão, das 8h às 17h, a partir da sexta-feira, dia 26 de março. A outra novidade também será o sistema de entrega (delivery), por meio de vendedores parceiros na Feira do Pescado.

Texto:
Roberta Corrêa